Notícias
06 de Maio de 2019
Papa em homilia: “Deus chama, Deus surpreende, Deus ama.”
Papa Francisco celebrou a Santa Missa deste domingo na Praça Knyaz Alexandar I, em Sófia, na Bulgária

O Papa Francisco celebrou, na tarde deste domingo, 5, a Santa Missa na Praça Knyaz Alexandar I, em Sófia, na Bulgária. A celebração teve início às 16h30 (10h30 em Brasília).

Logo no início da homilia, Francisco saudou os presentes, citando a ‘maravilhosa saudação’ feita pelos cristãos no país, que trocam entre si a alegria do Ressuscitado, no tempo pascal.

O Pontífice lembrou que o Evangelho do dia fala deste ‘contágio’ que deve acontecer, da alegria, que lembra aos cristãos as três realidades que marcam suas vidas: “Deus chama, Deus surpreende, Deus ama.”

Deus chama

Jesus chamou Pedro, convidando-o a deixar a profissão de pescador de peixes para se tornar pescador de homens. Após a morte de seu mestre, Pedro volta à vida antiga: ‘vou pescar’, influenciando os outros discípulos.

“Parece que dão um passo atrás; Pedro retoma as redes a que renunciara por Jesus. O peso do sofrimento, da decepção e até da traição tornara-se uma pedra difícil de remover no coração dos discípulos; sentiam-se ainda feridos sob o peso da amargura e da culpa, e a boa nova da Ressurreição não ganhara raízes no seu coração. O Senhor sabe como é forte em nós a tentação de voltar às coisas do passado. Na Bíblia, as redes de Pedro – como as cebolas do Egito – são símbolo da tentação da nostalgia do passado, de pretender de volta algo daquilo que se quisera deixar. Perante as experiências de fracasso, de amargura e até do fato de as coisas não resultarem como se esperava, aparece sempre uma sutil e perigosa tentação que convida ao desânimo, a desistir. É a psicologia do sepulcro que tinge tudo de resignação, fazendo-nos apegar a uma tristeza adocicada que corrói, como a traça, toda a esperança. Assim se consolida a maior ameaça que se pode enraizar numa comunidade: o pragmatismo cinzento da vida, na qual aparentemente tudo procede dentro da normalidade, mas na realidade a fé vai-se apagando e degenerando na mesquinhez.”

Francisco ressalta que é precisamente neste momento de fracasso, que chega Jesus.

“Recomeça do princípio, com paciência sai ao seu encontro e diz-lhe: «Simão…» (Jo 21, 15). Era o nome da primeira chamada. O Senhor não espera situações ou estados de ânimo ideais, cria-os. Não espera encontrar-Se com pessoas sem problemas, sem decepções, pecados ou limitações. Ele mesmo enfrentou o pecado e a decepção, para ir ao encontro de cada vivente e convidá-lo a caminhar.”

O Papa lembrou que Deus não Se cansa de chamar. É a força do Amor que subverte todas as previsões e sabe recomeçar. Em Jesus, Deus sempre procura dar uma possibilidade. E assim procede também com seu povo. O chama a cada dia para reviver a história de amor com Ele, para voltar a fundar na novidade que é Ele.

“Todas as manhãs, procura-nos lá onde estamos e convida ‘para nos levantarmos, ressuscitarmos à sua Palavra, olharmos para o alto e crermos que somos feitos para o Céu, não para a terra; para as alturas da vida, não para as torpezas da morte’ e convida-nos a não buscar ‘o Vivente entre os mortos’ (Francisco, Homilia na Vigília Pascal, 20 de abril de 2019).”

Deus surpreende

Deus surpreende. É o Senhor das surpresas que convida não só a surpreender-se, mas também a realizar coisas surpreendentes. O Senhor chama e, encontrando os discípulos com as redes vazias, propõe-lhes algo de insólito: pescar de dia, o que é bastante estranho naquele lago. Devolve-lhes confiança, colocando-os em movimento e impelindo-os de novo a arriscar, a não dar nada e, especialmente, ninguém por perdido. É o Senhor da surpresa que rompe os fechamentos paralisadores, restituindo a audácia capaz de superar a suspeita, a desconfiança e o medo que se esconde por trás do ‘sempre se fez assim’.

“Deus surpreende, quando chama e convida a lançarmos, já não as redes, mas a nós mesmos ao largo na história e a olhar a vida, a olhar os outros e também a nós mesmos com os seus próprios olhos que, ‘no pecado, vê filhos carecidos de ser levantados; na morte, irmãos carecidos de ressuscitar; na desolação, corações carecidos de consolação. Por isso, não temas! O Senhor ama esta tua vida, mesmo quando tens medo de a olhar de frente e tomar a sério’, disse o Papa

Deus ama

O Papa reforçou que a terceira certeza do evangelho é esta: Deus ama. O Deus que chama, que surpreende, o faz porque ama. O amor é a sua linguagem.

Por isso, pede a Pedro – e a todos – para sintonizar-se com a mesma linguagem: ‘Tu me amas?’ Pedro acolhe o convite e, depois de tanto tempo passado com Jesus, compreende que amar significa deixar de estar no centro. Agora já não começa de si mesmo, mas de Jesus: ‘Tu sabes tudo…’ (Jo 21, 17) – responde ele. Reconhece-se frágil, compreende que, só com as suas forças, não pode prosseguir. E baseia-se no Senhor, na força do seu amor, até ao fim.

“Esta é a nossa força, que somos convidados a renovar todos os dias: o Senhor ama-nos. Ser cristão é uma chamada a ter confiança que o Amor de Deus é maior do que qualquer limite ou pecado. Um dos grandes desgostos e obstáculos, que hoje sentimos, situa-se não tanto ao nível da compreensão de que Deus é amor, mas no fato de termos chegado a anunciá-Lo e testemunhá-Lo duma maneira tal, que, para muitos, este não é o seu nome. Mas Deus é amor, que ama, dá-Se, chama e surpreende.”

Terra de Santos

Francisco afirmou que Deus é capaz de fazer da vida de cada filho, uma obra de arte. Lembrou que a Bulgária é uma terra abençoada, de homens que, oferecendo a vida, foram sinais vivos do Senhor, superando corajosamente a apatia e dando uma resposta cristã às preocupações que se lhes apresentavam.

“Hoje somos convidados a contemplar e descobrir aquilo que o Senhor fez no passado, para nos lançarmos com Ele rumo ao futuro, sabendo que sempre, tanto nos êxitos como nos fracassos, voltará a chamar-nos convidando-nos a lançar as redes. (…) Enamorados por Cristo, sede testemunhas vivas do Evangelho em todos os cantos desta cidade. Não tenhais medo de ser os santos de que esta terra precisa; uma santidade, que não vos tirará forças, nem vida nem alegria; muito pelo contrário, porque chegareis a ser, vós e os filhos desta terra, aquilo que o Pai sonhou quando vos criou.”, finalizou o Pontífice.

Outras Notícias
18/09/19
Papa Francisco recebe Bartolomeu I no Vaticano
O Patriarca de Constantinopla foi recebido, nesta terça-feira, 17, pelo Papa Francisco. Após o encontro, almoçaram juntos na Casa Santa Marta Da redação, com Vatican News
18/09/19
Fraternidade Humana é tema central de encontro realizado em Genebra
42ª sessão do Conselho para os Direitos Humanos aconteceu ontem em Genebra e abordou documento sobre a Fraternidade Humana, assinado em Abu Dhabi pelo Papa Francisco Da redação, com Vatican
18/09/19
Em Roma, Assembleia da Comissão para Proteção dos Menores é concluída
No evento, brasileira que sofreu abuso dentro da Igreja partilhou sua experiência Da redação, com Vatican News
03/08/19
Primeiro Domingo de agosto é dedicado aos Ministérios Ordenados
Ao longo do mês de agosto, a Igreja dedica cada domingo a um estado de vida
03/08/19
"A vida consagrada é um dom de Deus à sua Igreja", diz Dom Jaime
Bispo nomeado membro de congregação da Santa Sé quer acompanhar e promover a vida consagrada
03/08/19
Papa exorta jovens: "Deixar-se transformar em discípulos missionários"
Francisco enviou uma mensagem aos jovens cubanos por ocasião do II Dia Nacional da Juventude celebrado em Cuba nesta quinta-feira, 1
22/07/19
"Conceda-nos a graça de amar e servir a Deus", pede o Papa no Angelus
No Angelus deste domingo, Francisco fez este pedido à Virgem Maria e lembrou o 50º aniversário da chegada do homem à lua
22/07/19
Preocupação com o povo
Esta era a meta principal de Jesus Cristo. Ele veio para fazer o trajeto da humanidade, ficar na retaguarda para atender às necessidades urgentes dos mais excluídos e se colocar no lugar de cada um deles. É o que vemos na cena acontecida com o bom samaritano, quando Jesus não se identifica propriam...
19/07/19
Dia da Caridade é incentivo para práticas diárias de solidariedade
Idosa e jovem contam sobre práticas de caridade que vivem no cotidiano e incentivam virtude como hábito; “Devemos viver a caridade todos os dias”
19/07/19
Rezar e trabalhar
O período da Igreja chamado Tempo Comum, no qual nos encontramos e vai até o final do Ano litúrgico, no qual a Liturgia Dominical é celebrada com os paramentos verdes, é propício para o aprofundamento das várias dimensões da vida cristã. “Ora et labora&rdquo...
12/07/19
O Bom Samaritano
Nas celebrações do próximo domingo, o Evangelho a ser proclamado será a comovente Parábola do Bom Samaritano contada por Jesus para responder a pergunta de um doutor da Lei, sobre quem seria o seu próximo. No fim da narração, Jesus devolve a pergunta: “Na tua opini...
12/07/19
O perigo das tentações
Passamos por sucessivas crises políticas ocasionadas por escândalos também sucessivos, os quais vão vindo à tona  em tal quantidade que nos questiona nos obrigando a uma reflexão. Cada um faz a sua análise ou reflexão, de acordo com a realidade na qual está im...
11/07/19
As muitas faces da mesma caridade
São Camilo de Lellis, comemorado pela Igreja no dia quatorze de julho, fundador dos Ministros dos enfermos, “Camilianos”, foi um homem de tamanha piedade e compaixão pelos doentes e moribundos e por todos os pobres e miseráveis. Em sua atribulada e diversificada vida, experimentou o afeto fami...
11/07/19
Urgência da Paz
A onda de violência que tem sacudido o mundo de hoje, torna urgente o nosso empenho pela paz. Por isso, faço minha a bela e pungente mensagem do nosso irmão, Dom Gilson Andrade da Silva, Bispo diocesano de Nova Iguaçu, preocupado com a violência na sua região, a Baixada Fluminense, mens...
06/07/19
Igreja, Casa e Missão
06/07/19
Anunciar Jesus Cristo, hoje?
O texto bíblico, da liturgia católica deste domingo, tirado de Lucas 10,1-12.17-20, conta que Jesus escolheu discípulos e os enviou, na “sua frente, a toda cidade e lugar onde ele próprio devia ir”. Faz recomendações sobre como deveria ser a postura deles e descreve alguma...
01/07/19
Vaticano reafirma que segredo de confissão é inviolável
A Penitenciaria Apostólica do Vaticano publicou uma nota reiterando a inviolabilidade do Sacramento da Confissão
01/07/19
Canonização de Irmã Dulce será no dia 13 de outubro
Canonização da beata brasileira e de mais quatro beatos foi anunciada nesta segunda-feira, 1, após Consistório Ordinário Público presidido pelo Papa
01/07/19
Papa presenteia Bartolomeu I com relíquia de São Pedro
Francisco presenteou o Patriarca Bartolomeu com um relicário contendo uma relíquia de São Pedro, por ocasião da festa dos Santos Pedro e Paulo
28/06/19
Papa ao Apostolado da Oração: o coração da missão da Igreja é a oração
Francisco recebeu Apostolado da Oração nesta sexta-feira, 28, em audiência
 
Santuário Eucarístico Diocesano
Paróquia Nossa Senhora de Fátima | WebMail
Praça João XXIII S/N - CEP 87200-000
Caixa Postal 152 | Cianorte - Paraná
Fone-Fax (44) 3619-1493